Polícia investiga mãe que enterrou feto em lote vago

Fonte: O Tempo

Há pelo menos dez dias, o feto de uma criança com cinco meses de gestação estava enterrado em um lote vago na margem do rio Araçuaí, em Berilo, no Vale do Jequitinhonha. Nesse domingo (6), o corpo foi encontrado por cachorros, o que levou a polícia a descobrir um possível aborto cometido por uma adolescente de 17 anos moradora da comunidade Beira Rio.

Apesar de já ter sido encontrada, a menina foi ouvida pela Polícia Civil e liberada, uma vez que o flagrante do crime já havia passado. De acordo com os policiais da delegacia de Capelinha, no Alto Jequitinhonha, que investigam o crime, a adolescente contou que havia dado à luz no último dia 25 que, cinco dias depois, enterrou o bebê no lote vago.

A suspeita foi denunciada por moradores da comunidade, que já desconfiava que a menor havia perdido o bebê quando viu os cachorros com o feto. O pai da criança, de 24 anos, também foi ouvido pelos investigadores. Segundo a Polícia Civil, o homem contou que a adolescente passou mal há cerca de uma semana e foi levada por ele ao Hospital Municipal de Berilo, onde ela teria abortado. Contudo, ele negou saber que a companheira tinha enterrado o feto.

Caso seja confirmado que a menina cometeu um aborto, ela poderá responder por ato infracional análogo a homicídio ou abandono de incapaz.

Hospital nega ter feito aborto

O Hospital Municipal de Berilo negou que a adolescente tenha dado entrada no hospital na semana passada, conforme relatado pelo companheiro dela. Segundo um funcionário da instituição, a menor esteve na unidade no domingo, afirmando que passava mal, mas não deu à luz nem teve aborto no local.

A direção do hospital informou também que, caso a menina tivesse abortado dentro da unidade, ela só poderia levar o feto para enterro com um atestado de óbito em mãos, documento que não foi emitido por nenhum médico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *