Prefeitura de Bocaiuva paralisa atividades contra a retenção de verba

Faixa na fachada da sede administrativa da prefeitura de Bocaiuva expõe o repúdio à retenção de recursos por parte do Estado

Fonte: Rádio Clube Bocaiuva

Diante do caos financeiro que assola o município, a prefeitura de Bocaiuva paralisou os seus serviços da administração direta desde segunda-feira (03) e mantém a paralisação até sexta-feira (10). A informação é da assessoria de comunicação municipal.

Serão mantidos apenas os serviços essenciais, como de Saúde e de abastecimento de água. A suspensão das atividades da administração direta é uma forma de protestos contra a retenção de recursos do Estado com o município. De acordo com a prefeitura de Bocaiuva, a dívida do governo mineiro com a cidade ultrapassa os R$15 milhões.

Desde o ano passado, a gestão municipal tomou uma série de providências para a regularização dos repasses, inclusive, com uma ação na Justiça cobrando do Estado o pagamento de sua dívida.

Outras medidas adotadas pela Prefeitura de Bocaiuva são o cancelamento de eventos como o réveillon na Praça Wan-Dyck Dumont e o apoio à realização da festa de Folia de Reis de Alto Belo.

De acordo com a Administração, diante do quadro de calamidade financeira é impossível arcar com outras despesas que não sejam o pagamento dos servidores e a manutenção dos serviços básicos à população.

Prefeitura de Engenheiro Navarro mantém-se em funcionamento

Engenheiro Navarro (foto) decreta estado de calamidade, mas, evita suspensão dos serviços administrativos municipais

Informação da recepção da prefeitura de Engenheiro Navarro a redação da Rádio Clube, nesta terça (04) é de que “o município declarou estado de calamidade financeira, mas não aderiu a paralisação deflagrada por outras cidades nesta semana”.

Assim, os serviços da administração direta e indireta da prefeitura navarrense prosseguem normalmente, conforme disse a recepcionista Nilza.

A pequena cidade de Olhos d’Água também sofre consequências com a falta de repasses de verbas

Assim como Bocaiuva e Engenheiro Navarro, outras cidades da microrregião, como Francisco Dumont, Guaraciama e Olhos d’Água, também havia decretado estado de calamidade financeira, em virtude da grave crise gerada principalmente pelo confisco de repasses de recursos do Governo de Minas.

Desde o ano passado, os gestores municipais vêm passando por adversidades financeiras. Neste ano, a situação ficou mais dramática ainda, pondo as prefeituras em dificuldades até para cumprir com as suas folhas de pagamento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *